“Jesus de Nazaré”: Filme Completo

Filme “Jesus de Nazaré”

Sinopse de “Jesus de Nazaré:

Introdução:

O enredo de “Jesus de Nazaré” é uma espécie de Diatessaron cinematográfico, ou “harmonia do Evangelho”, misturando as hístorias de todos os quatro livros do Novo Testamento. É preciso uma vista bastante naturalista, sem enfatizar os efeitos especiais quando milagres são descritos e apresentar Jesus como mais ou menos igualmente divino e humano.

Como tal, a voz de Deus não é ouvida durante o batismo de Jesus no rio Jordão, mas João fala suas palavras “este é meu filho amado” em vez disso. As tentações no deserto são retiradas totalmente, tirando Satanás inteiramente. Os episódios cristãos familiares são apresentados em ordem: o noivado e, posteriormente, o casamento de Maria e José; a Anunciação; a Visitação; a circuncisão de João Batista; a Natividade de Jesus; a visita dos Magos; a circuncisão de Jesus; o Censo de Quirino; a fuga para o Egito e o Massacre dos Inocentes; a descoberta no templo; o Batismo de Jesus.

Sinopse:

Jesus diz a seus seguidores que a lei de Moisés não é uma “pedra morta”. Outros episódios do filme tem a mulher apanhada em adultério; a cura da filha de Jairo; Jesus ajudando Pedro a pegar o peixe; a história do filho pródigo (Lucas 15: 11-32); uma conversa entre Jesus e Barrabás (não bíblico); O jantar de Mateus; o Sermão da Montanha; debatendo com José de Arimatéia; a cura do cego na piscina; a ressurreição de Lázaro (João 11:43); a alimentação dos cinco mil; a entrada em Jerusalém; Jesus e os cambistas; a parábola dos dois filhos; curando o servo do centurião; diálogo com Nicodemos; a última Ceia; a traição de Jesus por Judas.

No julgamento de Jesus no Sinédrio, Jesus é mentiroso por se chamar filho do Deus de Israel. Caifás anuncia “o SENHOR nosso Deus, o SENHOR é um”, negando que o Deus de Israel tenha um filho. As cenas que se seguem incluem Pedro negando Cristo e arrependendo-se disso; o julgamento de Jesus por Pilatos (“Ecce Homo”); a Narrativa da Paixão Joanina (João 18-19; incluindo a Agonia no Jardim); o Carregamento da Cruz; a Crucificação de Cristo (Nicodemos de Laurence Olivier recita a passagem do “Servo Sofredor” (Isaías 53: 3-5) enquanto olha desamparado para o Messias crucificado); a descoberta do túmulo vazio; e uma aparição de Cristo ressuscitado aos seus discípulos. O filme termina com o personagem não bíblico Zerah e seus colegas olhando com medo para o túmulo vazio. Zerah lamenta: “Agora começa. Tudo começa”.

Mais informação do filme aqui (Wikipedia, IMDb) Mais filmes aqui.

Obrigado por assistir “Jesus de Nazaré”!

Deixe uma comentário

%d blogueiros gostam disto: